terça-feira, 11 de maio de 2010

Boa musica

POR: Natasha @queridojardim









Durante muito tempo a música servia de refugio para muitos jovens. Era como um grito em busca de liberdade, em busca de mudanças. Era a procura pela paz, por uma revolução. Era uma crítica, uma reivindicação.

De Nirvana a Beatles, de Bob Dylan a Rolling Stones, de Chico Buarque a Renato Russo, de Gilberto Gil a Cazuza. Todos fazendo música de verdade, arrastando multidões, causando revoluções. Transformando toda uma sociedade. Mudando o mundo.

E atualmente onde estão os músicos de verdade? Onde estão os revolucionários? Os que criticam, que buscam a liberdade? Onde estão os protestos e toda a rebeldia? Do que vamos nos lembrar da musica de nossa geração? De “músicos” querendo apenas vendendo suas letras, de musicas comercias, musicas sem nenhum significado.

A música tem grande influencia sobre a população, talvez seja por isso que a sociedade atual esta assim, cada vez mais fútil. As pessoas fazem as músicas, e as músicas fazem as pessoas.

Com Parangole, McCreu e Restar nunca vamos pra frente. Precisamos de mais músicos de verdade, músicos como os de antigamente. Músicos com músicas de verdade.


Natasha

5 comentários:

  1. Vivemos esperando o dia em que seremos melhores em Tudo!!
    Lindo Texto amiga e a mais pura essencia da verdade !

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde...
    Músicas maravilhosas,músicos maravilhosos...
    A poesia reflexiva de Renato que conseguiu compor uma música que entrou para a história da música brasileira...
    Essa música algumas curiosidades...foi composta baseando-se nas falas dos pais e dos filhos("MEU FILHO VAI TER NOME DE SANTO" -pais;"VOU FUGIR DE CASA" - filhos,etc)
    E no final o poeta sintetiza esse aparente paradoxo "O que você vai ser quando você crescer"...
    Algo também bem delineado e defendido no livro de um escritor russo "Pais e Filhos", o conflito de gerações...
    Uma música que instinga a reflexão...a observamos nossas atitudes enquanto pais e filhos...
    Não deixarmos para o amanhã,nem o amor,nem as lutas,nem as reivindicações,nem as superações...Hoje é o dia...
    Uma bela lembrança...
    Adoro Legião e Renato Russo...
    Um abraço...

    ResponderExcluir
  3. Lindo!!!
    Dá para refletirmos sobre nossas vidas e nossas questões...
    Beijos
    Evelin Carraro

    ResponderExcluir
  4. Natasha @queridojardim11 de maio de 2010 13:01

    Eu também amo legião e Renato foi "meu" vizinho.

    ResponderExcluir
  5. Você tem muita razão, Natasha. O problema está em vários lugares. Essa forma fragmentada de ser da sociedade atual implica certa falta de sincronismo, desconfiança e maléfico individualismo. Houve um tempo que a boa música era partilhada na família, depois nos lugares, na escola e todos tínhamos uma opinião partilhada que conduzia a um certo bom gosto musical... Mas o dinheiro parece estar falando mais alto, não há formação, qualquer coisa parece ser música, desde que entre os quatro cantos de um cordão de segurança nas arenas de shows da vida...
    Mas tem jeito sim !
    Abraço!

    ResponderExcluir