sábado, 10 de julho de 2010

‘Gentileza com gentileza se paga.’

























É hora de ser gentil

Reinaldo Polito

Para falar da gentileza, vou aproveitar o comentário que o filósofo René Descartes fez sobre o bom senso na sua obra “Discurso do Método”: “o bom senso deve ser o bem mais bem distribuído da face da Terra, pois ninguém deseja ter quantidade maior do que já possui.“

E não é assim que a maioria de nós se comporta? Queremos um pouco mais de tudo -mais poder, mais riqueza, mais fama, porém, julgamos ter bom senso em quantidade mais que suficiente.

O mesmo ocorre com a gentileza. Quase sempre imaginamos que já somos suficientemente gentis. Se dissermos a uma platéia que de cada cem pessoas apenas dez são gentis, provavelmente todos os presentes julgarão que se enquadram nesses 10%.

Por isso, vamos refletir um pouco sobre como temos nos relacionado com as pessoas e sejamos nosso próprio juiz para decidirmos se a gentileza está ou não presente em nossas atitudes.

Se chegarmos à conclusão de que o bom relacionamento anda ausente do nosso manual de conduta, talvez possamos rever a maneira como temos nos comportado e passemos a levar uma vida social diferente, com mais generosidade.

É simples ser gentil
Embora um dos símbolos da gentileza seja o do homem que tira o casaco e o coloca sobre a poça para que uma mulher caminhe sem molhar os pés, no dia-a-dia, ser gentil não exige tanto sacrifício.

Para ser gentil basta tomarmos alguns pequenos cuidados que não nos darão tanto trabalho, nem nos desviarão muito dos nossos afazeres. Vamos analisar alguns exemplos de gentilezas que podemos incorporar com facilidade aos nossos hábitos.

Segurar a porta de entrada do restaurante ou do elevador para que a pessoa a encontre aberta. Essa atitude tão simples demonstra educação, generosidade e espírito de solidariedade.

2 comentários:

  1. Isso é a mais pura VERDADE!! ÓTIMO TEXTO!

    ResponderExcluir
  2. Que bom se TODOS fossem gentis com o seu planeta também !

    ResponderExcluir